Leone Serviços

Leone Serviços
Segurança Armada - Portaria Limpeza

Escreva abaixo para pesquisar assuntos tratados neste Site

Google+ Followers

Leia mais Noticias deste Site

segunda-feira, 26 de março de 2018

Porteiro no Belém sp


Empresa com 12 anos de mercado situada no Belém - São Paulo

Emidio Campos
Especialista em Segurança
www.leoneservicos.com.br
E mail - comercial@leoneservicos.com.br

segunda-feira, 5 de março de 2018

Segurança de eventos




O Grupo Leone Garante um ótimo evento, no quesito segurança, atuamos a 35 anos com expertise no assunto, a execução das atividades durante a produção e coleta de feedbacks. Cada etapa tem suas peculiaridades mas todas elas visam um evento que seja benéfico para todas as partes. E quando se trata do público, um item não pode faltar para que todos aproveitem: a segurança.
Todo bom evento que se preze, além da organização geral impecável, necessita de medidas de segurança obrigatórias por lei. Para cada ramo de atividade e local existem ações específicas que visam manter a ordem e evitar acidentes. Mas há pontos comuns que devem ser seguidos em qualquer evento. Existe uma lista extensa do que deve ser avaliado para manter os participantes seguros durante todo o evento. A seguir uma breve descrição para você entender quais são as medidas essenciais e como elas podem variar:
Deixe seu projeto e execução por nossa conta 
"Grupo Leone a segurança do tamanho do seu evento"


Emidio Campos
Especialista em Segurança
www.leoneservicos.com.br
E mail - comercial@leoneservicos.com.br

Segurança nos elevadores




Elevadores são equipamentos em que sua função primária é levar seus usuários de um andar a outro com conforto, comodidade e velocidade, garantindo a acessibilidade de todos a todos os andares de qualquer empreendimento, algo que pode não ser notado pelos usuários é que eles na verdade entregam sua vida à segurança deste equipamento, pois trata-se de uma caixa de metal suspensa por cabos de aço e contrapesos.
Não apenas por esse motivo com frequência escrevemos sobre a necessidade de se manter a manutenção preventiva em dia, agora traremos a você informações sobre a segurança dos elevadores e pontos que devem ser observados.
Quais os principais pontos de checagem para saber se meu equipamento é seguro?
Manter a manutenção preventiva em dia (nosso Auxiliar de manutenção do Grupo Leone é treinado para isso e garantirá a quem administra um ambiente com elevadores uma maior tranquilidade em saber exatamente o estado do seu equipamento, mas mesmo com manutenção frequentes, problemas podem aparecer. Vamos conhecer alguns pontos que trazem aos usuários maior segurança durante o uso de elevadores:
– Fique atento aos limites do seu elevador
Os elevadores são equipamentos que são preparados e dimensionados para suportar um limite exato de peso, muitas vezes o usuário comum não percebe a existência deste limite mesmo com a placa dentro do elevador o informando. O pensamento mais comum é: “- tem 15 pessoas aqui, mas cabe mais um, pode entrar! ” mas a placa dentro do elevador diz que o limite é 14 pessoas. Ou até mesmo o elevador de serviço onde os usuários lotam de peso por ainda ter espaço, mas os volumes são pesados e podem exceder o limite estabelecido para o equipamento. Neste ponto é importante treinar os funcionários do grupo Leone, no empreendimento para que detectem essas situações de insegurança e repreender o mais rápido possível, logicamente, com cordialidade. Este treinamento é valido para os mais diversos tipos de funcionários, desde os da limpeza até os de vigilância que podem analisar esses perigos via o sistema de CFTV, nós do Grupo Leone temos em nosso curso ao segurança um resumo completo de como lidar com a segurança nos elevadores.
– Portas automáticas
As portas automáticas são os primeiros e principais pontos que remetem a segurança dos usuários, lembre-se que prédios com elevadores não existe limite de andares e podemos conferir na história pessoas que sofreram quedas em fossos de elevadores simplesmente por terem aberto a porta e não repararem que o elevador estava no andar. Parece algo ridículo, mas quando entramos no modo automático, por diversas vezes, temos atitudes que não nos lembramos mesmo quando questionados exatamente após fazer e afinal, quando a porta do elevador abre, esperamos que ele esteja ali, correto? Então se em algum momento, uma porta se abrir sozinha ou mesmo for fácil sua abertura mesmo sem o elevador estar no andar, interdite imediatamente o equipamento, isole a área e chame um técnico, lembre-se, uma vida vale muito mais que seu equipamento funcionando.
– Sistemas de alarme de emergência e comunicação com a cabina
Por ser uma função que não é muito usado, o botão de alarme de emergência assim como o sistema de comunicação com a unidade interna pode apresentar defeitos que somente serão notados quando o mesmo for necessário e que por não funcionar pode trazer pânico, desespero e até raiva nos usuários em caso de uma emergência. Uma inspeção regular deve ser feita para garantir o perfeito funcionamento deste sistema.
– Treinamento dos profissionais envolvidos
Em empreendimentos sejam eles comerciais ou residenciais temos diversos profissionais que nos cercam, sejam eles de manutenção geral, zeladores, gerentes, porteiros ou até mesmo ascensoristas. Estes profissionais devem ser treinados para os principais tipos de situações, tanto no manuseio correto do equipamento, quanto na forma de se comunicar com os usuários durante uma paralização. Funcionários bem treinados e que tem o costume de usar e manusear o seu equipamento podem prever falhas, resolver pequenas panes e também comunicar à gerencia o momento ideal de se chamar a manutenção preventiva.
Estes são os principais pontos que garantem a segurança dos usuários durante o seu funcionamento, mas você sabe como isolar de forma correta um elevador com defeito?
Tão importante quanto garantir os sistemas de segurança para os usuários em perfeito funcionamento e lembre-se que não chegamos a comentar sobre a parte técnica de segurança, mas sim apenas as partes em que os usuários estão envolvidos, é saber como isolar a área de um elevador para o caso de pane evitando assim maiores prejuízos.
1 – Garanta que não há ninguém dentro do equipamento
Se o equipamento apresentou uma falha grave que ponha em risco a vida dos seus usuários você já sabe que deve parar o funcionamento dele imediatamente, quando acontece desta forma, geralmente você é avisado do problema e você decide pela desativação do equipamento. Mas quando ocorre uma pane durante o seu uso, o primeiro passo a se tomar é entrar em contato com a cabine, visualizar as câmeras e garantir que o equipamento esteja totalmente vazio.
2 – Verifique se há a possibilidade de trazer a cabine até o térreo
Avalie a situação, pense com calma antes de agir e se necessário for, entre em contato com seu técnico e tire a dúvida, sendo possível, traga a cabine até o térreo com o fim de garantir o fácil acesso ao técnico e até mesmo para o caso de uma falha grave, a cabine estar próximo ao solo minimiza os danos. Não havendo a possibilidade ou estando em dúvidas, deixe-o parado onde ele se encontra.
3 – Desligue a chave geral de energia (disjuntor) deste equipamento
Independente do equipamento ter uma chave interna que desliga o aparelho, muitas vezes essa chave apenas evita que o equipamento seja chamado ou desliga apenas as partes lógicas do equipamento. O desligamento apenas na chave, pode causar a sua reativação para o caso de alguém que colocou uma chave qualquer no local e conseguiu virar – e acredite, isso acontece. O desligamento na chave geral daquele único equipamento, evita danos nas partes logicas e peças que possam ter sido afetadas e evita que ele seja reativado acidentalmente.
4 – Verifique todas as portas de acesso do pedestre ao elevador parado e sinalize
Pode ocorrer durante uma pane, algumas de suas portas podem permanecer abertas ou até mesmo fracas e fáceis de abrir, faça a análise de todas as portas e feche as necessárias. Importante também é sinalizar que aquele equipamento encontra-se em manutenção, este passo possibilita que o usuário procure um outro equipamento para uso ou até mesmo escolha outro meio para se locomover como escadas ou rampas.
5 – Verifique se nas portas do seu equipamento existe a trava de segurança.
Equipamentos mais antigos foram feitos para serem usados com ascensoristas e operadores especializados apenas para aquela função, hoje em dia com tudo automatizado, alguns equipamentos vem com uma trava de segurança para que você possa trancar todas as portas ou algumas delas, esse passo é importante para evitar a abertura acidental ou garantir a não abertura.
6 – Para o caso de portas apertas, tape imediatamente com tapumes de madeiras
Em alguns momentos, dependendo da pane, o equipamento pode travar e permanecer com as portas abertas ou até por defeito, alguma porta perder pressão e ficar com fácil abertura. Estes casos quando encontrados devem ter a área imediatamente isolada e a porta coberta por tapumes de madeira. Não cubra apenas com um pano ou tecido, muito menos coloque apenas um cone com uma placa, o pano não permite a visão e como consequência a não se sabe o que está atrás, podendo causar acidentes a pessoas desatentas e apenas um cone com uma placa os principais acidentes podem ser com crianças, animais e curiosos.
Os usuários confiam suas vidas nos elevadores e não se esqueça que você, gestor de empreendimentos, também já que muitas vezes temos que utiliza-lo várias vezes por dia. O investimento em segurança de um elevador é baixo e podem evitar problemas maiores, pergunte a sua empresa de manutenção e pergunte sobre o treinamento de sua equipe para os diversos tipos de situação que podem ocorrer e formas de prever danos. Lembre-se, se uma vida vale muito, imagine quatro, seis, oito, dez, ou seja, a capacidade do seu elevador!

Emidio Campos
Especialista em Segurança
www.leoneservicos.com.br
E mail - comercial@leoneservicos.com.br

Dia internacional da mulher




As histórias que remetem à criação do Dia Internacional da Mulher alimentam o imaginário de que a data teria surgido a partir de um incêndio em uma fábrica têxtil de Nova York em 1911, quando cerca de 130 operárias morreram carbonizadas. Sem dúvida, o incidente ocorrido em 25 de março daquele ano marcou a trajetória das lutas feministas ao longo do século 20, mas os eventos que levaram à criação da data são bem anteriores a este acontecimento. 

Desde o final do século 19, organizações femininas oriundas de movimentos operários protestavam em vários países da Europa e nos Estados Unidos. As jornadas de trabalho de aproximadamente 15 horas diárias e os salários medíocres introduzidos pela Revolução Industrial levaram as mulheres a greves para reivindicar melhores condições de trabalho e o fim do trabalho infantil, comum nas fábricas durante o período. 

O primeiro Dia Nacional da Mulher foi celebrado em maio de 1908 nos Estados Unidos, quando cerca de 1500 mulheres aderiram a uma manifestação em prol da igualdade econômica e política no país. No ano seguinte, o Partido Socialista dos EUA oficializou a data como sendo 28 de fevereiro, com um protesto que reuniu mais de 3 mil pessoas no centro de Nova York e culminou, em novembro de 1909, em uma longa greve têxtil que fechou quase 500 fábricas americanas.

Em 1910, durante a II Conferência Internacional de Mulheres Socialistas na Dinamarca, uma resolução para a criação de uma data anual para a celebração dos direitos da mulher foi aprovada por mais de cem representantes de 17 países. O objetivo era honrar as lutas femininas e, assim, obter suporte para instituir o sufrágio universal em diversas nações. 

Com a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) eclodiram ainda mais protestos em todo o mundo. Mas foi em 8 de março de 1917 (23 de fevereiro no calendário Juliano, adotado pela Rússia até então), quando aproximadamente 90 mil operárias manifestaram-se contra o Czar Nicolau II, as más condições de trabalho, a fome e a participação russa na guerra - em um protesto conhecido como "Pão e Paz" - que a data consagrou-se, embora tenha sido oficializada como Dia Internacional da Mulher, apenas em 1921.

Somente mais de 20 anos depois, em 1945, a Organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo internacional que afirmava princípios de igualdade entre homens e mulheres. Nos anos 1960, o movimento feminista ganhou corpo, em 1975 comemorou-se oficialmente o Ano Internacional da Mulher e em 1977 o "8 de março" foi reconhecido oficialmente pelas Nações Unidas.

"O 8 de março deve ser visto como momento de mobilização para a conquista de direitos e para discutir as discriminações e violências morais, físicas e sexuais ainda sofridas pelas mulheres, impedindo que retrocessos ameacem o que já foi alcançado em diversos países", explica a professora Maria Célia Orlato Selem, mestre em Estudos Feministas pela Universidade de Brasília e doutoranda em História Cultural pela Universidade de Campinas (Unicamp).

No Brasil, as movimentações em prol dos direitos da mulher surgiram em meio aos grupos anarquistas do início do século 20, que buscavam, assim como nos demais países, melhores condições de trabalho e qualidade de vida. A luta feminina ganhou força com o movimento das sufragistas, nas décadas de 1920 e 30, que conseguiram o direito ao voto em 1932, na Constituição promulgada por Getúlio Vargas. A partir dos anos 1970 emergiram no país organizações que passaram a incluir na pauta das discussões a igualdade entre os gêneros, a sexualidade e a saúde da mulher. Em 1982, o feminismo passou a manter um diálogo importante com o Estado, com a criação do Conselho Estadual da Condição Feminina em São Paulo, e em 1985, com o aparecimento da primeira Delegacia Especializada da Mulher.


Emidio Campos
Especialista em Segurança
www.leoneservicos.com.br
E mail - comercial@leoneservicos.com.br

E Mail do Consultor - comercial@leoneservicos.com.br - Skype emidiocampos

Policia Militar de São Paulo

Policia Militar de São Paulo
Apoio Leone Terceirizações

Doação de Orgãos

Faça a campanha em seu condominio
POR QUE DOAR?A carência de doadores de órgãos é ainda um grande obstáculo para a efetivação de transplantes no Brasil. Mesmo nos casos em que o órgão pode ser obtido de um doador vivo, a quantidade de transplantes é pequena diante da demanda de pacientes que esperam pela cirurgia. A falta de informação e o preconceito também acabam limitando o número de doações obtidas de pacientes com morte cerebral. Com a conscientização efetiva da população, o número de doações pode aumentar de forma significativa. Para muitos pacientes, o transplante de órgãos é a única forma de salvar suas vidas.Saiba mais no Site:http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/transplante-de-orgaos/doacao-de-orgaos.php
Divulgação Emidio Campos:. Consultor de Segurança

Evento Jovem Brasileiro

Evento Jovem Brasileiro
Gestor de Segurança Emidio campos

Veja como aumentar a segurança do seu condomínio



Arquivo do blog

Evento Jockey Club

Evento Jockey Club
Leone Serviços

Leone Serviços de Portaria

Leone Serviços de Portaria
Treinamento Israelense

Lei 4591/64 sobre Condomínios

Lei 4591/64 sobre Condomínios
Clique na foto e Leia esta lei