Leone Serviços

Leone Serviços
Portaria Limpeza Zeladoria Motorista

Escreva abaixo para pesquisar assuntos tratados neste Site

Google+ Followers

Leia mais Noticias deste Site

domingo, 30 de novembro de 2014

Cartilha de segurança em condomínios


A seleção de pessoal doméstico e do condomínio deve ser rigorosa, com pesquisa da vida pregressa dos candidatos e verificação criteriosa das fontes de referência. Dar preferência para os que possuam cursos de formação e treinamento;

- Orientar adequadamente porteiros, zelador e funcionários em geral. O pessoal de zeladoria, principalmente aqueles que desempenham funções na portaria do prédio, devem ser alertados para os diferentes disfarces e formas de execução usadas pelos bandidos e devem estar capacitados para tomar providências urgentes quando necessário

- Cadastrar todos os condôminos com dados pessoais, dos veículos e até de parentes próximos, para uso em caso de emergência;

- Estabelecer o sistema de identificação com crachá para todos os visitantes, com assinatura do condômino visitado;

- Acompanhar o andamento de todos os trabalhos realizados no edifício. Em caso de obras no condomínio, contratar uma empreiteira, identificando os funcionários que serão alocados, antes do começo da obra. Exigir o uso de crachá com foto e, antes da obra, orientar porteiros e zelador a só deixar entrar os funcionários que foram identificados previamente pela empreiteira;

- Realizar a reciclagem e treinamento periódico de seus funcionários com foco na segurança do condomínio.

- Desenvolver reuniões periódicas com os condôminos a fim de despertar a consciência para a segurança de todos;

- Dar o mesmo treinamento de segurança aos funcionários que possam vir a substituir, mesmo que temporariamente, o porteiro. Assaltantes já têm explorado estas ''brechas'': entrar em momentos em que percebem funcionários que não os porteiros na guarita.

- Treinar perfeitamente os funcionários para o uso dos equipamentos e sistemas de segurança. Muitos condomínios desperdiçam dinheiro em equipamentos que os empregados não sabem utilizar corretamente.

- Sugere-se a instalação, na entrada do condomínio, de caixa ou abertura para encomendas, evitando a entrada do entregador;

- Deixar o aparelho de gravação de fitas do circuito fechado de tv em uma sala trancada, da qual os funcionários não tenham a chave. Já ocorreram vários assaltos em que os ladrões fizeram o zelador ou o porteiro entregar a fita de gravação.

- Sempre atualizar procedimentos de segurança, porque métodos criminosos mudam, se adequam às medidas de segurança dos condomínios. Portanto, mesmo instalado um sistema de segurança, com equipamentos, procedimentos e infra-estrutura, o condomínio não deve nunca se acomodar. A revisão desses tópicos precisa ser permanente.

- Responsabilidade do condomínio: em roubos a apartamentos, o condomínio só é responsável se houver serviço de vigilância e for comprovada negligência.




ZELADOR
- Deve receber as mesmas orientações de segurança dos porteiros e supervisionar sua aplicação.

- Deve ser o responsável pela autorização de entrada dos prestadores de serviços que trabalharão na área comum e nos equipamentos do condomínio. Não deve autorizar visitas não marcadas, sem estar na portaria e confirmar o motivo da visita. Em caso de obras, só permitir o acesso de funcionários listados pela empreiteira, portando crachá com foto.

- Ao abrir o portão da garagem, identificar o motorista e observar se não há risco de entrar alguém junto;

- Deve sempre ter à mão os telefones da delegacia de polícia mais próxima e do Corpo de Bombeiros.

- Orientar os funcionários da limpeza a, quando lavarem com água os andares e o térreo, colocarem um pano no vão entre a porta do elevador e o chão para que a água não escorra, danificando o sistema de travamento das portas dos andares inferiores.




CONDÔMINOS

- A sua compreensão e colaboração são fundamentais para a segurança do condomínio;

- Elogiar as ações dos funcionários que visam a garantir a segurança de todos os condôminos, mesmo quando representam algum transtorno para si ou para suas visitas;

- Manter a máxima discrição quanto aos valores guardados na casa, existência de cofres, etc;

- Ao chegar ou sair da garagem, observar se não há pessoas estranhas ou suspeitas, aguardando ou dando voltas até sentir-se em segurança. Qualquer suspeita deverá ser comunicada imediatamente à Polícia, que saberá analisar a informação e tomar as providências cabíveis;

- Se, no entanto, for surpreeendido por assaltantes, procure manter a calma. Não encare seus atacantes diretamente e nem discuta com eles. Havendo oportunidade, diga que não guarda valores em casa, por exigência do seguro, e que está aguardando visitas;

- Ao estacionar seu veículo na garagem, mantê-lo trancado, sem pacotes e objetos à vista e com o alarme ligado;

- Alertar a portaria para que receba as encomendas feitas ou o avise para que vá atender ao entregador na recepção;


- Ser criterioso na autorização de entrada, só admitindo visitantes que conheça; 

- Não autorizar a subida de entregadores, e descer à portaria para receber encomendas; 

- Não autorizar a subida de nenhum prestador de serviços que não tenha sido requisitado, bem como vendedores, funcionários de instituições de caridade e outros; 

- Não abrir a porta do apartamento a estranhos, mesmo que acompanhados de funcionários do condomínios; 

- Quando solicitado à portaria, verificar se o assunto lhe diz respeito, e só então descer à recepção para atender; 

- Ao contratar empregados (domésticas, babás, motoristas etc.) somente os receber na portaria. Exigir documentação e referências, averiguando a autenticidade e veracidade das informações; 

- Não deixar cópias das chaves na portaria, nem os empregados particulares ou do condomínio. 

- Moradores dos 1º e 2º andares devem ter um cuidado especial e proteger as áreas de acesso; 

- Ao viajar, não comente sua futura ausência perto de pessoas estranhas. Nas ausências prolongadas, peça a um parente para visitar sua casa, para demonstrar a presença de pessoas (abrindo janelas, regando jardins, entrando com carro na garagem, etc.). Não deixe jóias ou dinheiro dentro de casa, mesmo que seja em cofre. Utilize o cofre de bancos. Não deixe luzes acesas, pois durante o dia significam ausência de pessoas. Só deixe a chave com pessoas de absoluta confiança. Feche as portas e janelas com trincos e trancas. Reforce a porta da frente com fechaduras auxiliares. 







INFRA-ESTRUTRA

- A guarita deve ser recuada do portão, com grades altas ao redor do prédio, e o portão da garagem controlado pela portaria.

- As entradas do edifício (social, de serviço e garagem) devem ser suficientemente iluminadas

- Instalação de um sistema de comunicação (tipo botão de pânico silencioso) entre vários prédios de uma mesma rua, de modo que quando houver um problema em um deles, os outros são acionados. Ou botão de pânico que acione um empresa de segurança.

- Instalar circuito fechado de TV: câmeras móveis ou fixas, com caixa de proteção e cúpula para ocultá-las (em elevadores, por exemplo), monitores (preto e branco ou coloridos), vídeo time lapse (aparelho que grava 960 horas de imagens numa única fita VHS), multiplexador (permite a visualização de todas as câmeras em uma só tela, dividindo-a, sobrepondo imagens ou programando uma seqüência de exibição)

- Instalação de cercas elétricas e proteção perimetral, que funciona com cercas que disparam alarmes. Interligada a um sistema com computador, pode denunciar imediatamente o ponto de invasão.

- Na hora de adquirir equipamento eletrônico de segurança, é importante visitar a sede da empresa para ver se ela existe mesmo e se dispõe dos equipamentos, já que é investimento relativamente alto. Também é importante verificar a situação comercial e financeira da empresa para evitar calotes. Na parte técnica, pedir a feitura de projetos de segurança a empresas que não vendam equipamentos. Sem interesses comerciais, podem fazer um levantamento das reais necessidades do condomínio

VIGIAS ARMADOS

- A contratação de um serviço de vigilância armada nem sempre traz segurança ao condomínio. Pode, pelo contrário, representar fator extra de perigo, caso a empresa contratada não estiver com os papéis em ordem, e os vigilantes, bem treinados. O país tem aproximadamente 1,3 mil empresas registradas na Polícia Federal, mas, para cada empresa de segurança devidamente regularizada, há uma média de três clandestinas.

- De acordo com a Lei 7.102/83, o profissional de segurança armada deve possuir um treinamento especializado, credenciado e fiscalizado pela Polícia Federal. Tal treinamento dura três semanas.Os futuros vigilantes são submetidos a exames para a habilitação do uso de arma de fogo. Após todos os treinamentos, ele recebe um certificado.

- Em caso das empresas que disponibilizam pessoal para efetuar a segurança do condomínio, fique atento se a empresa tem licença de funcionamento emitida pela Polícia Federal, se presta assistência 24 horas por dia, se os vigilantes são treinados, capacitados e possuem a caga horária mínima de treinamento (120 h), determinada por Lei.

- Armas não bastam. É preciso um projeto de segurança. Para levar um vigilante armado para dentro do prédio, é preciso verificar a posição da guarita e os equipamentos de segurança disponíveis, além de fazer um levantamento das ocorrências mais comuns na região. Se não há esse planejamento, a arma pode representar um perigo, não um aliado. 

Emidio Campos 
Especialista em Segurança 
www.leoneservicos.com.br 
E mail - comercial@leoneservicos.com.br

Imagens de assaltante em condomínio



O circuito interno de TV de um condomínio de luxo na quadra 14 do Park Way, no DF, registrou a ação de dois assaltantes que levaram dois monitores de computador e uma jaqueta de uma casa na madrugada do dia 25 de março. Um dos ladrões pulou o portão, de cerca de dois metros, com os objetos furtados nas mãos.
O caso ocorreu próximo ao condomínio onde um ladrão foi morto a tiros em abril pelo morador de uma mansão que foi invadida. O ladrão foi alvejado quando estava no telhado e o corpo ficou preso em uma árvore.
As imagens do furto ocorrido em março registram desde o momento da tentativa de invasão ao condomínio até a hora da fuga, depois que o alarme da casa invadida começou a disparar. Ao todo, a ação durou uma hora. Após tentar entrar, sem sucesso, pelo portão da frente do condomínio, os assaltantes invadiram a área passando pelo lote vizinho.
"Agora estamos dormindo com a casa toda fechada. Foram colocadas lanças no portão do condomínio e cerca elétrica ao redor de todo o lote. Também pretendo colocar circuito interno de TV na minha casa. A minha esposa está muito assustada com o que aconteceu", afirmou.De acordo com o morador da casa furtada, que preferiu não se identificar, os assaltantes abriram o portão eletrônico da residência no modo manual e entraram pela janela da sala, que estava aberta. Os monitores foram roubados do escritório, enquanto o casal e o filho de cinco anos dormiam no andar de cima da mansão.

Segundo o morador, que vive no local há cinco anos e teve a casa invadida outra vez há três anos, os ladrões só não levaram mais coisas porque o alarme disparou.
Imagens de câmeras de segurança mostram ações de ladrões em condomínio no Park Way, no Distrito Federal (Foto: Reprodução)Imagens de câmeras de segurança mostram ação de ladrões em condomínio no Park Way, no Distrito Federal (Fotos: Reprodução)
As imagens gravadas pelo condomínimo mostram que, ao sair de dentro da casa com os dois monitores, os ladrões fugiram pulando o portão da frente, que tem cerca de dois metros de altura.

Invasões frequentes
Moradora de um terceiro condomínio da quadra 14, a professora Adriana Soares disse que os casos de invasão e furto a casas do Park Way tem se tornado frequente nos últimos meses.
"Moro aqui há dez anos e nunca tinha acontecido nada. Entre março e abril, entraram na minha casa três vezes", disse Adriana. Segundo ela, os ladrões levaram, primeiro, uma televisão. Na segunda vez, os carros foram revirados por dentro, mas nada foi levado.
Na última vez, em abril, Adriana chegou a ver o momento em que o ladrão estava dentro da casa dela. De acordo com a professora,  ele teria fugido logo depois de perceber que a família tinha acordado. Moradores da região desconfiam que os crimes possam ter sido cometidos pelos mesmos assaltantes.

Emidio Campos 
Gerente de Planejamento 
www.leoneservicos.com.br 
E mail - comercial@leoneservicos.com.br

Rota faz policiamento no condomínio da Granja Viana



Após 38 crimes em um mês, moradores da Granja Viana, em Cotia (SP), contratam seguranças armados

Uma onda de assaltos e tentativas de sequestros levou um pelotão da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) a cuidar do policiamento da Granja Viana, bairro com 67 condomínios residenciais em Cotia (35 km a oeste de SP). É a primeira vez que a Rota patrulha um condomínio fechado.
Apenas no mês de outubro, segundo a PM, aconteceram 38 sequestros-relâmpagos bem ou malsucedidos na região. Nesse tipo de crime, os assaltantes tomam a vítima como refém para levá-los a caixas eletrônicos e sacar dinheiro. No mês anterior, foram 12 casos.
A maioria dos condomínios da Granja Viana é de alto padrão, habitado por pessoas que saíram da capital para fugir da violência.
Seus moradores, na maioria, são profissionais liberais que trabalham em São Paulo e viajam diariamente para os condomínios.
A maior parte dos assaltos ocorre à noite e pela madrugada nas estradas que ligam a rodovia Raposo Tavares aos condomínios.
A Rota começou a estar presente na Granja Viana no início do mês. Pelo menos três vezes por semana, um pelotão composto por 24 homens em seis carros percorre as ruas onde ocorrem mais assaltos.
A Rota foi chamada pelo comando do 20º Batalhão da PM, responsável pelo policiamento de Cotia. "Ficamos espantados com o aumento da violência e pedimos reforço. A Granja sempre foi um lugar calmo, um paraíso, e agora estava começando a se transformar em um local perigoso", afirmou o major Wallace Ferreira, subcomandante do batalhão.
Além do auxílio da Rota, o batalhão também está fazendo semanalmente operações especiais no condomínio e, em conjunto com a Polícia Rodoviária, realizando bloqueios em busca de armas na rodovia Raposo Tavares, principal acesso aos condomínios.
Independente da ação da polícia, a população da Granja Viana também está procurando meios de combater a violência.
Há cerca de um mês, moradores criaram o Conselho de Segurança Comunitária (Conseg) da Granja Viana. Segundo o dentista Francisco Mattos Júnior, presidente do Conseg, o conselho foi criado para negociar com as autoridades medidas para aumentar a segurança.
Mattos Júnior cita medidas de segurança já tomadas isoladamente por condomínios. Um dos pioneiros foi o São Paulo 2. Há aproximadamente um ano, o condomínio contratou a empresa Impacto para policiar suas ruas.
Trinta homens armados em sete carros equipados com radiotransmissor fazem ronda 24 horas por dia. A portaria também é vigiada por homens armados. Como nos outros condomínios, o São Paulo 2 é equipado com interfones e a entrada só é permitida com autorização do morador.
Outro condomínio, o Palos Verdes, tem um esquema de escolta para seus moradores. Quando está na Raposo Tavares, o morador liga pelo celular à portaria, que manda um carro escoltá-lo até a entrada.
O Conseg também está pedindo os moradores da Granja Viana uma contribuição de R$ 2 para a segurança. O dinheiro será usado na construção de um posto para a Guarda Civil de Cotia em um terreno doado por empresários. "Também pretendemos usar o dinheiro para comprar carros e equipamentos para a PM", afirmou Mattos.


Emidio Campos 
Gerente de Planejamento 
www.leoneservicos.com.br 
E mail - comercial@leoneservicos.com.br

Ladrões se passam por policiais para assaltar condomínio no ABC



A quadrilha se passou por policiais federais para assaltar um condomínio em Santo André, no ABC, na noite de quinta-feira (6). Os criminosos estavam em um carro com giroflex e ainda usavam roupas da PF para simular uma blitz. O síndico suspeitou da ação e acionou a Polícia Militar.
O grupo de cinco criminosos, em um carro vermelho, abordou um empresário que voltava para casa. Quatro deles estavam com roupas com a inscrição Polícia Federal e fingiram ser agentes. Um estava de terno fingindo ser um delegado.
O empresário foi feito refém e levado para o prédio onde mora.  Os criminosos disseram na portaria que eram policiais e que precisavam subir porque estavam cumprindo um mandado de busca e apreensão.

O porteiro chamou o síndico, que desconfiou da ação. Ele combinou um código com a mulher e foi para a portaria. Ela deveria ligar lá e, se ele respondesse 'sim' durante a conversa telefônica, era para ligar para a PM.

Os dois ficaram reféns enquanto dois criminosos subiram para o apartamento do empresário. A polícia chegou em pouco minutos e negociou a rendição.
Os cinco suspeitos foram presos e responderão por associação criminosa e roubo. Com eles, a PM apreendeu quatro armas, sendo duas falsas.
Ladrões se passam por policiais para assaltar condomínio no ABC (Foto: Reprodução/TV Globo)Quadrilha usou mandado de busca em apreensão falso na ação (Foto: Reprodução/TV Globo)


Emidio Campos
Gerente de Planejamento
www.leoneservicos.com.br
E mail - comercial@leoneservicos.com.br

Controle remoto clonado por bandidos




O controle remoto de portões automáticos virou arma nas mãos de ladrões. Em bairros residenciais da capital, casas são furtadas com aparelhos roubados ou clonados dos donos. Em julho, mês de férias, a polícia registrou 681 furtos e roubos a residência – média de um caso por hora.
Sem arrombamento, criminosos estacionam seus carros diretamente na garagem e limpam a casa em menos de uma hora. Cômodos são revirados em busca de joias, celulares, eletroeletrônicos e até bens de valor sentimental.
No Morumbi, zona sul, as quadrilhas seguem os moradores e furtam o aparelho guardado quase sempre no interior dos veículos. A ação, segundo a polícia, pode contar até com a participação de manobristas de estacionamentos privados onde os automóveis passam o dia. “As pessoas largam o controle em qualquer lugar, quando deveriam ter o mesmo cuidado que dedicam às chaves de casa. Tem de andar com ele”, afirmou o delegado Vilson Genestretti, titular do 34.º DP (Vila Sônia), que investiga dois casos desse tipo ocorridos recentemente.
Em um dos crimes, ladrões substituíram o controle por um parecido para que a vítima não percebesse. “Se perdeu ou percebeu que o controle não está funcionando, o morador tem de mudar o código”, disse. Além de praticar o assalto no ato, a quadrilha também pode seguir o motorista para descobrir onde mora e retornar outro dia para fazer o assalto.
A clonagem do controle é feita com a mesma “tecnologia” utilizada por bandos que clonam cartões de banco. O sinal é captado por meio de um equipamento durante a abertura ou fechamento do portão e depois programado em outro aparelho. Segundo especialistas em segurança, isso é possível porque a codificação dos controles analógicos não tem complexidade. Estima-se que, em um lote de 50 controles, pelo menos um abra mais de um portão.
De dia – A maioria dos furtos ocorre de dia, quando os imóveis estão vazios. As quadrilhas simulam o comportamento dos moradores, usando carros da mesma cor. Foi o que aconteceu na casa do aposentado Dorival Francisco Alves, de 74 anos. “Eles entraram assim que minha mulher e eu saímos, às 11h50. Era uma quinta-feira, a rua tinha movimento, mas mesmo assim eles conseguiram. Não sobrou nada de valor. Levaram até a imagem de uma santinha que a minha mulher guardava na sala”, conta o morador do Planalto Paulista, na zona sul.
Com uma chave de fenda, os ladrões quebraram o cadeado que mantém o portão da casa de Alves no modo automático, levantaram a trava e estacionaram na garagem um carro prata, da mesma cor do proprietário, a fim de não chamar a atenção. No mesmo dia, a vítima reforçou a segurança e passou a contar com o apoio de vizinhos quando sai.
O delegado Genésio Léo Junior, do 27.º DP (Campo Belo), disse que é fundamental essa cooperação. “Já vi casos em que os ladrões pararam um caminhão de mudança na frente da casa, durante as férias do moradores, e levaram até as janelas.”

Preciso de um consultor de segurança entre em contato com o Grupo Leone
www.leoneservicos.com.br

Emidio Campos
Gerente de Planejamento
www.leoneservicos.com.br
E mail - comercial@leoneservicos.com.br

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

A Pedra Bruta






A pedra é o objeto do trabalho inicial de qualquer construção. Cada pedra é única e liberta-se da sua forma tosca através de um árduo trabalho de aperfeiçoamento, polindo as suas faces, alisando as suas arestas, para que possa ser uma das peças do edifício. Esse trabalho de aperfeiçoamento não dilui a sua individualidade, pois consoante a matéria que a constitui terá um papel diferente no edifício construído. 

Também há pedras de diferentes materiais e o trabalhar da Pedra Bruta também significa aprender a conjugar os diferentes tipos de materiais no verbo “construir”. 

Cada Maçom é considerado como uma das pedras que compõem o Templo, e cada uma dessas pedras representa o Templo todo. Os Obreiros, há de polir cada um a sua pedra, pois basta apenas procurar sua perfeição, construindo seu Templo interno e encontrando sua própria essência. 

A Pedra Bruta é o símbolo das imperfeições do espírito que o Maçom deve procurar corrigir. Não porque se menospreze, considerando-se imperfeito, mas porque ambiciona a uma perfeição. Essa perfeição não é apenas a Pedra Polida mas também a participação dessa pedra na construção do Templo. 

A superfície de Pedra Bruta é rugosa e áspera. A Luz, ao incidir numa superfície deste tipo é absorvida, assim como o Aprendiz ainda não reflete a Luz que recebe da Maçonaria. Apenas quando a Pedra Bruta é trabalhada, transformando-se em Pedra Polida, as suas faces lisas passam a refletir a luz que nela incide. 

Por tanto, pode-se afirmar a quem esta dispostos a trabalhar a bem de todos que a Maçonaria esta aberta para os valentes, que estão dispostos a desbastar a Pedra Bruta. 

Michelangelo indagado sobre sua escultura do rei David, dizia que sua criação lutava para se libertar da pedra, chegando a declarar que "ele só tirava as sobras, pois a escultura já estava ali. 

Todo dia, precisamos retirar nossas arestas, polindo nossos corações, e sempre lutar para elevar nossos princípios. 


Emidio Campos 
Gerente de Planejamento 
www.leoneservicos.com.br
E mail - comercial@leoneservicos.com.br

E Mail do Consultor - comercial@leoneservicos.com.br - Skype emidiocampos

Policia Militar de São Paulo

Policia Militar de São Paulo
Apoio Leone Terceirizações

Doação de Orgãos

Faça a campanha em seu condominio
POR QUE DOAR?A carência de doadores de órgãos é ainda um grande obstáculo para a efetivação de transplantes no Brasil. Mesmo nos casos em que o órgão pode ser obtido de um doador vivo, a quantidade de transplantes é pequena diante da demanda de pacientes que esperam pela cirurgia. A falta de informação e o preconceito também acabam limitando o número de doações obtidas de pacientes com morte cerebral. Com a conscientização efetiva da população, o número de doações pode aumentar de forma significativa. Para muitos pacientes, o transplante de órgãos é a única forma de salvar suas vidas.Saiba mais no Site:http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/transplante-de-orgaos/doacao-de-orgaos.php
Divulgação Emidio Campos:. Consultor de Segurança

Evento Jovem Brasileiro

Evento Jovem Brasileiro
Gestor de Segurança Emidio campos

Veja como aumentar a segurança do seu condomínio



Arquivo do blog

Evento Jockey Club

Evento Jockey Club
Leone Serviços

Leone Serviços de Portaria

Leone Serviços de Portaria
Treinamento Israelense

Lei 4591/64 sobre Condomínios

Lei 4591/64 sobre Condomínios
Clique na foto e Leia esta lei